icone-blog
Este blog é dedicado aos amantes da língua portuguesa, àqueles que querem sempre aprender mais e aos que querem conhecer melhor nossa empresa. A valorização da língua portuguesa é nosso maior objetivo e nossa maior alegria! Esperamos que façam bom proveito das informações aqui postadas!

O esquecido pronome "cujo"

  01 Dezembro 2011

PASQUALE CIPRO NETO 

Cujo, o famigerado
Além de famigerado (com o sentido usual), o relativo 'cujo' é quase um moribundo, errático, sem sepulcro à vista
Um dos memoráveis contos de "Primeiras Estórias", obra-prima de Guimarães Rosa, é "Famigerado". Um bandidaço ("Damázio, dos Siqueiras") chega a um lugarejo e pede ao médico do local que lhe explique o significado de "famigerado" ("Eu vim perguntar a vosmecê uma opinião sua explicada").
Não vou estragar o prazer de quem ainda não leu o conto. Se é esse o seu caso, caro leitor, é só entrar num dos sites de busca e digitar "famigerado". Permita-me outra sugestão: assista ao belíssimo filme "Outras Histórias", que Pedro Bial dirigiu em 1999. O filme (que está -inteirinho- no YouTube) se baseia na obra quase homônima de Rosa. Um dos contos aproveitados por Bial é justamente "Famigerado". Poucas vezes vi fotografia tão impressionante como a desse filme. A essa beleza se acrescenta o magnífico trabalho dos atores e do diretor.
Pois bem. Ao pé da letra, "famigerado" significa "famoso", "célebre" etc., mas, no uso comum, esse adjetivo significa "tristemente afamado", "que tem má fama".

Publicado em blog

Cadê o cujo?

  14 Outubro 2011

Mais um excelente texto, cuja leitura vale a pena!

(Ó, colocamos o "cuja" aí, direitinho, como manda o professor!).

PASQUALE CIPRO NETO

'...estava previsto para embarcar...'



O fato é outro: é o cacoete, a expressão viciada, guiada pelo piloto automático, usada irrefletidamente

Neste espaço, já citei mais de uma vez um texto que o grande Otto Lara Resende publicou nesta Folha, em 1992, no qual o mestre mineiro falava do "desaparecimento" do pronome relativo "cujo", que "bateu asas e voou. Virou ave migratória". 
Esse texto chegou a ser mote de uma questão da Unicamp, cujo enunciado começava assim: "O comentário acima, do escritor Otto Lara Resende, refere-se ao fato de que o uso do pronome relativo 'cujo' é cada vez menos frequente. Isso faz com que os falantes, ao tentarem utilizar esse pronome na escrita, construam sequências sintáticas que levam a interpretações estranhas. Veja o exemplo seguinte: 'O povo não só quer o impeachment desse aventureiro chamado Collor, como o confisco dos bens nada honestos do sr. Paulo Cesar Farias e companhia. E que a esse PFL e ao Brizola (cuja ficha de filiação ao PDT já rasguei) reste a vingança do povo...'". 
O manifesto é de um leitor da Folha e foi publicado no Painel do Leitor, de 30/07/92. A levarmos ao pé da letra o que ele afirma, a ficha de filiação de Leonel Brizola ao PDT foi rasgada por... Por esse leitor, uai! 

Publicado em blog

Saiba mais

icone-blogBlog
Dicas, artigos e informações que possam melhorar as ferramentas de comunicação!

icone-agendaAgenda
Fique por dentro do que vai rolar: eventos, cursos e muito mais.

Fale conosco

Entre em contato conosco:
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Telefone: São Paulo/SP (11) 3673.1570 

Para mais informações ou para enviar uma mensagem, clique aqui.